Impresso

01 de de 2017

Marcha Atlética - Atletismo

O esporte marcado por um rebolado característico é apresentado pelo atleta Caio Bonfim, que foi quarto lugar nas Olimpíadas Rio 2016

Marcha Atlética - Atletismo

Para quem não conhece, trata-se de uma modalidade olímpica em que o atleta deve se movimentar o mais rápido possível, numa espécie de corrida, porém é preciso se encaixar em algumas regras que o impedem de correr pra valer. A principal caracterí

Você certamente deve ter acompanhado a última edição dos Jogos Olímpicos, afinal eles aconteceram em terras brasileiras e saber de tudo o que rolava por aqui foi o máximo! Muitos atletas brasileiros brilharam e foram protagonistas de esportes de adrenalina, precisão, exaustão e de muitas peculiaridades. Um desses esportes é disputado dentro do atletismo e se chama marcha atlética, apresentada por Caio Bonfim, o atleta olímpico que detém o quarto lugar nos 20km e o nono nos 50km neste Rio 2016.

Para quem não conhece, trata-se de uma modalidade olímpica em que o atleta deve se movimentar o mais rápido possível, numa espécie de corrida, porém é preciso se encaixar em algumas regras que o impedem de correr pra valer. A principal característica é que não haja fase de voo, ou seja, um dos pés deve estar sempre em contato com o chão. E é essa fase que diferencia a corrida de uma caminhada.

Os atletas marchadores devem atingir uma velocidade de corrida, e esse movimento parece um rebolado, algo bem curioso dentro do universo esportivo. A marcha pode ser praticada desde a adolescência e tem uma evolução quando os atletas passam para o nível profissional. As provas de 10km, por exemplo, são disputadas até os 19 anos dos praticantes. Quando o atleta completa 20 anos e entra na categoria adulta, a prova passa a ser de 20km.

Antes de contar sua história, Caio Bonfim frisa que um bom atleta dentro da marcha atlética deve ter resistência, velocidade, força e persistência. “Essas são características fundamentais para a conquista de bons resultados”. Segundo Caio, quem pratica a marcha atlética deve obedecer as regras e respeitar o adversário. E para conseguir melhorar, é preciso treinar muito, além de ter muita persistência.

O atleta nasceu em Brasília e vive atualmente na cidade de Sobradinho, também no Distrito Federal. Seus primeiros passos dentro deste esporte aconteceram aos 16 anos, mas Caio traz no DNA o dom para a marcha. A mãe Gianetti traz no currículo sete vitórias em campeonatos brasileiros nesta modalidade. O pai João foi o primeiro treinador.

“Meus pais nunca me forçaram a nada, mas com a convivência acabei me influenciando, já que acompanhava a minha mãe nas competições. Lá em casa, eu e meu irmão sempre soubemos marchar e aprendemos muito cedo a respeitar a marcha”, conta. O início no esporte aconteceu na Copa Brasil de marcha atlética em 2007. “De lá pra cá não parei mais. Naquela época já era consciente da minha profissionalização”, diz Caio, que atualmente, tem um reforço a mais nos treinos, sendo acompanhado também pela mãe.

“Desde o início tive muito apoio dos meus pais, naquele estilo ‘paitrocínio’ mesmo”, brinca o atleta. Esse apoio rendeu frutos logo no início quando Caio foi campeão brasileiro menor, aos 16 anos. Além deste título, Caio ostenta ainda os títulos de: recordista brasileiro em todas as categorias, campeão sul-americano adulto, tetra campeão brasileiro adulto, hexa campeão da Copa Brasil, medalha de bronze no Panamericano de Toronto em 2015, sexto do mundo no mundial de Pequim em 2015 e os mais recentes, como quarto nos 20km e nono nos 50km nas Olimpíadas 2016.

“A medalha de bronze no Panamericano de Toronto, teve um gosto especial, mas o quarto lugar no Rio 2016, trouxe o reconhecimento do público que eu sou um atleta de alto nível e que a marcha é o novo esporte no Brasil”, conta. Apesar do resultado positivo para a carreira, especificamente sobre estes jogos olímpicos, Caio dá destaque ainda para um fato que não merece aplausos: o preconceito.

“A marcha atlética é um esporte que sofre preconceito no Brasil. Durante minha passagem pelo Rio de Janeiro, não teve nenhum dia em que eu não tenha sido alvo de piadas. Não esperava ser recebido desta maneira, nem mesmo na cidade olímpica; torcia por um espírito olímpico que não havia. O povo precisa conhecer mais este esporte e obviamente respeitá-lo. Não se trata de brincadeira. Trata-se de um esporte difícil e muito sério, onde um trabalho físico e mental fantástico é feito para se disputar uma prova”, desabafa o atleta.

 

MARCHANDO PRA VALER

Como atividade física, Caio Bonfim avalia que a marcha atlética é muito benéfica, por exemplo, se comparada com a corrida: “Ela é menos prejudicial para o corpo do que a corrida, pois gera menos impacto, então qualquer pessoa pode praticar, até mesmo quem tem problemas no joelho ou tornozelo. A marcha é benéfica ainda para quem pretende emagrecer, pois queima mais calorias que a corrida”, conta o campeão.

Para se ter uma ideia, Caio Bonfim treina de três a quatro horas por dia, fazendo uma média de 40km pelas ruas de Sobradinho e na pista do estádio Augustinho Lima, com uma rotina de treino que vai de segunda a sábado. No período da tarde, ele treina pelo menos mais 50 minutos, fazendo musculação e trabalhando a flexibilidade.

“Faço musculação, mas não durante o ano todo. O foco é no período de base, para melhorar a força e a boa performance muscular. Um trabalho de musculação bem feito, evita lesões e de 2014 até hoje, não tive lesão que impedisse a rotina de meus treinamentos”, conta. Durante às terças e quintas, o atleta foca a melhora da velocidade. O atleta é adepto ainda do Pilates durante dois dias da semana, durante o ano todo. Segundo ele, essa técnica melhora a flexibilidade, qualidade muito exigida em uma prova deste esporte. Caio mantém ainda uma rotina de cuidados específicos, acompanhado por duas fisioterapeutas, pelo menos três vezes por semana.

Para a temporada de competições, Caio realiza dez períodos de treinos por semana e após tanto treinamento, é fundamental o descanso, que acontece sempre aos domingos, além de merecidas horas durante a semana. “O melhor descanso é o sono da tarde e da noite. Uma vez ao ano eu fico pelo menos 20 dias sem treinar, mas fazendo atividades leves e diferentes da marcha”, diz.

Quando o assunto é alimentação, Caio tem acompanhamento profissional de nutrição. O atleta consome de quatro a cinco mil calorias por dia e uma lista farta em suplementação alimentar, que inclui, entre outros, polivitamínico, ribose, aminoácidos essenciais e glutamina. “É impossível ser um atleta de marcha atlética sem consumir suplementos. Perco peso no período básico, mas a minha dieta é exatamente para não perder peso. Não posso perder massa muscular, então sigo à risca o que me é passado pela nutricionista”, revela o atleta.

Tanta dedicação faz de Caio Bonfim um verdadeiro campeão. Ele tem como diferencial a velocidade, mas acima de tudo a vontade de vencer sempre. “Busco agora uma medalha em um mundial, além de buscar fazer a marcha atlética ser conhecida no país do Futebol”, frisa o atleta, que tem na agenda a Copa Brasil de Marcha; o Grande Prêmio de Rio Maior, em Portugal; a Copa Panamericana e o Mundial de Atletismo em Londres.

 

Caio Oliveira de Sena Bonfim

 

Data de nascimento: 19/03/1991

Local de nascimento: Brasília/DF

Modalidade: Marcha atlética - atletismo

Categoria: Adulto

Peso: 62kg

Altura: 1,76cm

Equipe: Centro de Atletismo de Sobradinho

Patrocinadores: CAIXA e Skechers

 

Principais Títulos:

*Recordista brasileiro em todas as categorias

Campeão Sul-americano adulto

Tetra-campeão brasileiro adulto

Hexa campeão da Copa Brasil de Marcha Atlética

2016 – Olimpíadas Rio 2016: 4º nos 20km e 9º nos 50km

2015 – Medalha de bronze no Panamericano de Toronto

2015 – 6º do Mundo no Mundial de Pequim

 

Redes Sociais:

Instagram: @caiobonfim

Facebook: www.facebook.com/_Caio Bonfim

Snap: caiosenab

 

CARDÁPIO NORMAL

Caio Bonfim tem uma alimentação normal, com nenhuma restrição. Ao todo ele ingere seis refeições por dia. Frutas e verduras uma vez ao dia. O atleta classifica as principais refeições a seguir:

 

Café da manhã

Pão + manteiga + ovos + suco

 

Almoço

Arroz + feijão + verdura + carnes variadas (de preferência picanha)

 

Suplementação

A lista de Caio Bonfim contém:

 

BCAA
No2 e No3
Melatonina
Macro bióticos pb8
Ribose
Ferro e complexo B12
Aminoácidos essenciais
Aspartato de potássio
Aspartato de magnésio

Glutamina

Whey protein

Fonte: REVISTA SUPLEMENTAÇÃO - ANO 9 - EDIÇÃO Nº45

Imprimir Enviar por email
  • Banner
  • Banner
  • Banner